No dia 4 de novembro aconteceu o Rio Desperta, grande evento que juntou tradições diferentes de meditação no Rio de Janeiro, RJ (Brasil).

O evento foi idealizado e realizado pelos brasileiros Gunatiita e Taruna Deva (Telmo Maia), margiis que também ensinam meditação ao público como ferramenta de autoconhecimento e transformação social. Eles vislumbraram um grande evento e foram atrás de formas para realizá-lo: “Pensamos em desistir algumas vezes, porque ficamos sem patrocínio, e assim nos pareceu inviável”, diz Taruna Deva. “Mas nossos parceiros não nos deixaram desistir”, complementa Gunatiita.

Como muitos detalhes de produção já estavam encaminhados, voluntários e parceiros foram se comprometendo a realizar o evento mesmo sem patrocínio. “Quando vimos, havíamos juntado um time de ótimos profissionais, todos envolvidos com o desejo de difundir a meditação para um grande público”, revela a dupla, que ao final do evento estava visivelmente emocionada com o tamanho da realização.

A Grande Sala da Cidade das Artes, no bairro Barra da Tijuca, local nobre para eventos no Rio de Janeiro, acomodou um público bastante eclético, que aproveitou das palestras, cantou e dançou mantras e degustou de diversas formas de meditar.

Entre os palestrantes estavam Klebér Tani, expoente da Meditação Transcendental; Oberon, que versou sobre veganismo e meditação, com o tema “O Mundo tem Fome de Amor”; a professora de vedanta Glória Arieira; Monja Coen, com a filosofia budista; Damien Desnos, instrutor de Mindfulness; os próprios Gunatiita e Taruna Deva, da Una Meditação; Acarya Jinanananda Avadhuta, que falou sobre sociedade, neo-humanismo e PROUT; e por fim, Rajshree Patel, instrutora e conferencista internacional da Arte de Viver. No intervalo das palestras, quatro bandas de bajhans (canções devocionais), kirtans e mantras se apresentaram – entre elas um coletivo de doze margiis, que levou ao público o kiirtan Baba nam kevalam.

Dada Jinanananda, que compartilhou um pouco da filosofia de Ananda Marga no evento, conduziu com habilidade a plateia para o entendimento de PROUT.  Hora com humor, hora com seriedade, sempre com linguagem simples e direta, ele falou sobre a polarização política que estamos vivendo – não só no Brasil, mas no mundo. Explicou, também, a necessidade de sutilizar a energia para que possamos nos mover da vibração dos cakras mais básicos para vibrarmos na energia do amor.

Jinanananda citou Baba algumas vezes, ao falar do Tantra: “é preciso que sejamos coerentes com pensamentos, palavras e ações”, disse. Ele também parafraseou outros filósofos, como Nietzsche, a afirmar que “a vida humana é uma ponte entre o animal e o divino – use essa ponte”. Em outra fala, fez a plateia refletir ao afirmar: “ninguém vai nos salvar, não existe um salvador, devemos nos levantar para salvar a nós mesmos coletivamente, pensando no bem de todos”.

O Rio Desperta foi, de fato, assim: um evento feito por todos, para o bem de todos.  Para muitos que assistiram, ficou no ar a esperança renovada e a sensação de que é nossa a responsabilidade por nossa própria alegria.

O evento foi transmitido integralmente ao vivo. Você pode assistir a todas as palestras na página do Rio Desperta no facebook: https://www.facebook.com/riodesperta/

Por Laksmii (Luciana Lima Lopes)

Fotos por: Carolina Demper e Pedro Kuia

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here